Wellington Marques

Wellington Marques

(88) 9.9989.4965

Às 14h45 da última quinta-feira, ao chegar à sede do PSB, na Asa Norte, o ex-presidente do Supremo Joaquim Barbosa pensou em recuar. O batalhão de jornalistas foi uma surpresa para o magistrado aposentado, como ele mesmo disse a líderes da legenda. O desafio do homem que nas pesquisas de intenção de votos chega a 10% é transformar o espanto em decisão. Mas isso pode demandar tempo. Há uma clara intenção entre a sigla e o ministro aposentado em transformar o namoro, iniciado há pelo menos oito meses, em casamento. A dificuldade é que eles passariam a morar sob o mesmo teto. E isso pode dar certo ou errado.
 
O casamento entre Barbosa e o PSB depende da resolução de brigas internas do próprio partido — uma legenda que tem entre os integrantes gente da esquerda e da centro-direita. Mas, também, de uma imposição do próprio ex-ministro. À imprensa, ele não demonstrou preocupação em perder um eventual apoio em decorrência da lentidão em definir a candidatura. “Who cares?”, respondeu, em inglês. Na tradução literal para o português, a frase significa “quem se importa?”. Hoje, pelo menos um potencial de 14 milhões de eleitores ainda na largada. Essa postura expressa bem que o jurista ainda não caiu em si sobre o potencial que tem. Afinal, mesmo sem ainda ter se posicionado ou discursado como pré-candidato, detém intenção de votos superior à soma de votos de Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D’Ávila (PCdoB).
 
A capacidade eleitoral do peesebista também se iguala à dos principais nomes do centro. Juntos, Geraldo Alckmin (PSDB), ex-governador de São Paulo, Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, e Henrique Meirelles ou Michel Temer (MDB), ex-ministro da Fazenda e presidente da República, respectivamente, detêm os mesmos 10% que Barbosa. A diferença entre esses pré-candidatos e os de esquerda é que o ministro aposentado pode crescer ainda mais nas pesquisas, sustenta o cientista político Murillo Aragão, sócio da Arko Advice. “Em se colocando de verdade, pode afetar todas as candidaturas. De esquerda, centro, ou direita”, avaliou.
 
O sucesso de Barbosa, no entanto, dependerá muito da formação de coligações, para dar estrutura partidária e tempo de televisão, pondera Aragão. “Não é apenas jogar um nome e ver se cola”, disse. Ciente do poder que Barbosa pode ter em absorver votos de outros pré-candidatos, e da importância em construir alianças, líderes do PSB no Congresso Nacional estão se movimentando para construir uma narrativa sólida que garanta apoio na corrida eleitoral e em uma eventual gestão à frente da Presidência da República.
 
A ideia é construir a imagem de Barbosa como desaguador do centro e da esquerda, explica o líder do PSB na Câmara, Júlio Delgado (MG). “Fui, inclusive, procurado por deputados de esquerda que propuseram a instalação de uma frente parlamentar suprapartidária de apoio ao ministro aposentado”, afirmou. A expectativa do partido é que o apoio partidário possa fazê-lo cair na real para as eleições. Resta saber o que pensa ele e a legenda, ressalta Delgado. “Pelo menos na primeira conversa que tivemos sobre alguns temas, houve uma sintonia.”
 
No campo econômico, houve sinergia entre partido e o potencial candidato. O ministro aposentado e os líderes concordam que a reforma da Previdência deve ser aprovada, mas não no modelo proposto por Temer. Também houve sintonia em relação a privatizações. “Não de tudo, nem de setores estratégicos”, ressaltou Delgado. O presidente do partido, Carlos Siqueira, endossa o discurso, e garante que algumas decisões liberais de Barbosa como ministro, como voto pela quebra do monopólio do petróleo, são aceitáveis. “Nós admitimos que haja participação privada, mas é preciso que o governo mantenha o controle de áreas estratégicas, como energia e gás”, disse.
 

Jeito mineiro

 
A ficha de Barbosa pode levar ainda outras reuniões para cair. O jeito cauteloso, meio desconfiado, meio prudente, do ex-magistrado pode ser a causa disso, avalia o empresário Antônio Carlos Mariano de Almeida, 63 anos, mais conhecido como “Toninho”. Amigo do magistrado desde a infância, ele não tem dúvidas que avaliações pelo lado pessoal terão um grande peso na escolha. “A partir do momento em que o sujeito vira vitrine no Brasil, todo mundo quer jogar pedra. Então, você pode ter certeza de que, se vier a ser candidato, vai ter muita gente batendo nele. E ele sabe disso”, ponderou.
 
Natural de Paracatu (MG), como Barbosa, Toninho conhece o ministro aposentado como poucos. Fizeram o primeiro grau juntos e jogaram futebol no mesmo time de juvenis. O empresário não nega que o temperamento forte é uma marca registrada do ex-presidente do STF, algo que, politicamente, deve ser monitorado pelo partido. Mas, para ele, isso pode jogar a favor do jurista na corrida eleitoral. “Joaquim é de poucos amigos. Mas os amigos verdadeiros têm um acesso muito grande a ele. Ele se abre, pede opiniões, e ouve muito bem. Sabe ser flexível. Se sentir confiança nos líderes do partido e aliados, o trato com certeza será diferenciado”, avaliou o amigo.
 
Um fator determinante para selar o casamento entre Barbosa e o PSB é a reciprocidade. Dificilmente o ex-magistrado aceitará assumir a pré-candidatura se perceber uma persistência da divisão interna entre caciques do partido. A falta de consenso em torno do recém-correligionário, no entanto, pode ser momentânea. Mesmo líderes que questionam a pré-candidatura do ministro aposentado não viraram totalmente as costas.
 
“A atração do partido em relação a Barbosa é eleitoreira, não há dúvidas”, disse um dirigente do partido, que aponta os principais nomes contrários ao magistrado: “Renato Casagrande (ES), Paulo Câmara (PE) e Ricardo Coutinho (PB). Os defensores são a elite do partido residente em Brasília”. Ao responder às perguntas dos jornalistas na tarde de quinta-feira, Barbosa foi direto: “Há dificuldades dos dois lados. O partido tem sua história, suas dificuldades regionais. Do meu lado, tenho minhas dificuldades de ordem pessoal.” A dificuldade do PSB com nomes de fora não é novidade, vide o caso de Marina Silva na eleição passada, vista com desconfiança pelos integrantes do partido. A ex-senadora terminou a campanha com 21% das intenções de votos.
 
Para um filiado do partido, as qualidades de Barbosa são os principais problemas dele, como por exemplo a sinceridade. “Mas, se ele se viabilizar como candidato dentro de um partido dividido como o PSB, terá passado no primeiro teste para virar presidente.” O governador de São Paulo, Márcio França, sugeriu que o partido faça uma pesquisa qualitativa em torno do nome de Barbosa para sondar o poder eleitoral nas ruas. A depender dos resultados, o gestor pode vir a apoiá-lo. “Ele não é bobo nem nada. Sabe que pode abrir um leque e uma grande oportunidade para ele, mesmo em São Paulo”, disse um cacique do PSB.
 
Correio Braziliense

prefeito interino de Bariri, Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), de 34 anos, foi preso por suspeita de raptar e abusar de uma menina de 8 anos, na manhã deste sábado (21), no Vale do Igapó, em Bauru (SP).

De acordo com o delegado Fábio Mariotto, que fez o flagrante, ele teria confessado ter estuprado a criança. O advogado Humberto Pastrello, que se apresentou como defensor do prefeito, não quis comentar o caso. Após o registro do boletim de ocorrência por flagrante de estupro, Araújo foi levado à cadeia de Barra Bonita, às 19h50.

Araújo deve passar por audiência de custódia neste domingo (22), às 9h, em Bauru. A TV TEM procurou a assessoria da Prefeitura de Bariri e do PSDB na cidade, mas ninguém se manifestou sobre o assunto.

De acordo com informações da Polícia Militar, o político pegou a criança no Núcleo Habitacional José Regino e se dirigiu até um matagal, onde o carro acabou caindo em um buraco.

Conforme informações do boletim de ocorrência, nesse momento a menina conseguiu se desvencilhar do prefeito, saiu correndo e pediu ajuda a um casal que passava pelo local, dizendo que havia sido abusada por um homem de barba. 

Prefeito de Bariri é preso em flagrante suspeito de abusar de criança de 8 anos (Foto: Arquivo pessoal)Prefeito de Bariri é preso em flagrante suspeito de abusar de criança de 8 anos (Foto: Arquivo pessoal)

Prefeito de Bariri é preso em flagrante suspeito de abusar de criança de 8 anos

(Foto: Arquivo pessoal)

A polícia foi acionada e encontrou o suspeito caminhando entre as árvores. Ao ser abordado, segundo a PM, o político tentou fugir e entrou em luta corporal com os policiais, mas acabou sendo controlado. Em seguida, apontou o local onde havia escondido o carro.

Ainda conforme o registro policial, Araújo aparentava estar sob efeito de drogas. O prefeito em exercício e a criança foram encaminhados para a UPA do Bela Vista e, em seguida, para a delegacia. O laudo que vai comprovar se houve conjunção carnal deve sair em até 30 dias.

 
Criança de 8 anos passou por exames e laudo deve sair em até 30 dias (Foto: Reprodução/TV TEM )Criança de 8 anos passou por exames e laudo deve sair em até 30 dias (Foto: Reprodução/TV TEM )

Criança de 8 anos passou por exames e laudo deve sair em até 30 dias (

Foto: Reprodução/TV TEM ) 

 

Pedido de afastamento 

Araújo é presidente da Câmara de Vereadores de Bariri e está no cargo de prefeito desde o início de 2017. À TV TEM, o Legislativo informou que os vereadores se reuniram neste sábado para tratar o assunto, mas que na segunda-feira (23), assim que tiveram acesso ao BO, vão entrar com pedido de quebra de decoro e afastamento do prefeito.

A reunião de segunda-feira também deve definir quem assume o cargo de prefeito até a nova eleição marcada para junho. (Entenda a situação política na cidade abaixo) 

Paulo Henrique de Araújo (PSDB), presidente da Câmara, administra a cidade enquanto nova eleição não define o prefeito (Foto: Roberto Coletta/Arquivo pessoal)Paulo Henrique de Araújo (PSDB), presidente da Câmara, administra a cidade enquanto nova eleição não define o prefeito (Foto: Roberto Coletta/Arquivo pessoal)

Paulo Henrique de Araújo (PSDB), presidente da Câmara, administra a cidade

enquanto nova eleição não define o prefeito (Foto: Roberto Coletta/Arquivo pessoal)

 

Novas eleições

 

Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou para 3 de junho as novas eleições para prefeito e vice-prefeito de Bariri. Após o pleito de 2016, os candidatos a prefeito e vice da chapa mais votada – Francisco Leoni Neto e Benedito Mazotti, ambos do PSDB – tiveram o registro indeferido com base na Lei da Ficha Limpa.

Em junho do ano passado, os políticos barrados tentaram voltar ao cargo, mas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou recurso proposto por Francisco Leoni Neto. 

Político foi detido na delegacia de Bauru por suspeita de estupro de vulnerável (Foto: Giuliano Tamura/TV TEM)Político foi detido na delegacia de Bauru por suspeita de estupro de vulnerável (Foto: Giuliano Tamura/TV TEM)

Político foi detido na delegacia de Bauru por suspeita de estupro de vulnerável

(Foto: Giuliano Tamura/TV TEM)

 

G1

O presidente Michel Temer reuniu-se ontem (22), no Palácio do Jaburu, em Brasília, com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, e o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Padilha e Maia chegaram por volta das 17h. Cerca de uma hora depois, Maia deixou a residência oficial. Moreira chegou após a saída de Maia. A reunião seguiu com Moreira e Padilha até as 19h30.

A assessoria de imprensa da Presidência da República disse que um dos assuntos tratados foi a pauta da semana no Congresso Nacional.

Tramitam no Congresso medidas econômicas consideradas pelo governo como prioritárias.

A proposta de privatização da Eletrobras também está em tramitação. A meta do governo é realizar o leilão de privatização das distribuidoras da Eletrobras, que devem ser adquiridas pelo valor simbólico de R$ 50 mil, e a capitalização das ações da empresa pertencentes ao governo, até que a União se torne sócia minoritária.

A estimativa é que sejam captados cerca de R$ 12 bilhões com a operação.

Na Câmara, a discussão está sendo feita em comissão especial. A última sessão contou com a maioria de deputados contrários ao projeto, que temem energia mais cara com a privatização.

Agencia Brasil

A médica Lia Ferreira Gomes (PDT) e a empresária Nicolle Barbosa (PSC) ensaiam “dobradinha” para as urnas de outubro próximo, na condição de deputada estadual e deputada federal, respectivamente.

As duas pré-candidatas esperam mostrar a força da mulher na política cearense, além de marcarem a trajetória política pela indignação com a corrupção que tem decepcionado o cidadão brasileiro.

(Blog do Eliomar - Foto: Divulgação)

O nome do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) está na lista de opções do PSDB ao Palácio do Planalto, diante da crise enfrentada pela pre-candidatura do ex-governador Geraldo Alckmin. As recentes denúncias, sobre possíveis irregularidades em suas administrações em São Paulo, expõem um Alckmin com imagem desgastada e que, na avaliação de tucanos, pode excluir o PSDB do segundo turno da eleição presidencial.

Uma das vozes em defesa da substituição de Alckmin é o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. Arthur defende o nome do senador Tasso Jereissati, como revela, neste domingo o jornalista Josias de Sousa, do Jornal Folha de São Paulo, para substituir Alckmin na corrida pelo Palácio do Planalto. “Tasso talvez não ganhe a eleição. Mas conduzirá a refundação do partido”, disse Virgílio na noite do último sábado, 21. “E não está descartada a hipótese de o Tasso surpreender aos que esperam do PSDB um Alckmin comportadinho e derrotadinho”.

Em novembro do ano passado, quando ocupava a presidência do PSDB interinamente, Tasso falava em “refundar” o ninho. Foi destituído por Aécio Neves, então presidente licenciado do partido. Na sequência, Alckmin foi entronizado no comando partidário. Na última terça-feira, depois que Aécio virou réu no Supremo, Alckmin dedicou-se a chutar cachorro morto. Declarou que ficou “evidente” que Aécio perdeu as condições de pedir votos em 2018, seja para que cargo for.

Para Virgílio, o eleitor já não distingue o PSDB do MDB, o que é muito ruim. Mas ele acha que há males que vêm para pior: “Se distinguisse seria muito pior para nós, por que o MDB nunca despertou a esperança que o PSDB inspirou um dia.” Nesse cenário, declarou o prefeito, o tucanato precisa admitir que o risco de derrota é real. De resto, defende a adoção de providências imediatas para reduzir os danos.

“Se a possibilidade de derrota existe, precisamos considerar a alternativa de perder com dignidade máxima. Por isso defendo que coloquemos o Tasso como candidato. Ele entraria na disputa sem nenhum contendioso judicial, com plenas condições de atacar duramente esse quadro de desmoralização que se instalou na política brasileira. Seria um candidato propositivo, com uma visão de Nordeste e de Norte. Como empresário, é respeitado no Sudeste, Sul e Centro-Oeste”, disse Vírgilio.

Com Alckmin, acrescenta Virgílio, “a derrota transformará o PSDB em linha auxiliar do próximo presidente, um partido que trocará a adesão por ministérios e diretorias financeiras”. Algo que “não dignifica um partido que nasceu de uma dissidência do MDB com o compromisso de ser uma opção capaz de catalisar o pensamento mais progressista do país, com uma alta taxa de dignidade”.

Na visão do prefeito, o discurso de Alckmin é aguado e evasivo. “O Geraldo revelou-se incapaz de dizer o que precisa ser dito. Está cuidadoso, medindo as palavras, usando luvas de pelica. Preocupa-se com um eleitorado que não tem. Deveria falar francamente sobre a inevitável reforma da Previdência, sobre as necessárias privatizações.” No Datafolha mais recente, divulgado há uma semana, Alckmin amealhou 7% das intenções de voto no cenário mais provável, sem Lula.

“Perde votos em São Paulo e está atrás do Álvaro Dias na região Sul”, contabiliza Virgílio. “Ele não entra aqui no Norte, o que é grave. Não entra no Nordeste, o que é gravíssimo. Joaquim Barbosa (9% no Datafolha) já está na frente do Geraldo, mesmo sem ter assumido a candidatura”, lembra o atual prefeito de Manaus.

Após desistir de disputar com Alckmin uma prévia para a escolha do candidato do PSDB ao Planalto, Virgílio havia imposto a si mesmo o que chamou de “quarentena”. Não queria parecer “implicante”, ele afirma. “Mas não acho correto estender isso pela eternidade”, justifica-se, antes de esclarecer o que gostaria que Alckmin fizesse: “O certo memo seria o Geraldo fechar esse episódio com dignidade. Ele diria: ‘Não sou candidato à Presidência da República. Percebo que não é a minha vez. Vou marchar com o meu partido, apoiando o Tasso’”.

Se isso não acontecer, afirma Virgílio, nada impede o PSDB de escolher um novo candidato à revelia do atual. “Não seria o ideal, mas não é impossível.” Ele ainda acrescenta: “um partido que protagonizou o evento mais importante dos últimos 50 anos no Brasil, que foi o Plano Real, não pode terminar assim”, concluiu Virgílio. “Ou mudamos o candidato e vamos brigar pelo futuro do partido ou vamos marchar, feito carneiros, para o cutelo. Ou reagimos ou vamos virar material descartável, lixo hospitalar.”

Com informações do Uol Notícias

O presidente do Congresso Nacional, o senador cearense Eunício Oliveira (MDB), disse, em entrevista ao Poder360, que quer votar nesta semana o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). O projeto, aprovado pela Câmara dos Deputados no último dia 11, deve, antes de seguir ao plenário do Senado, passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Após apreciação na CCJ, a proposta será levada ao plenário, em regime de urgência, para ser analisada pelos 81 senadores.

“Essa matéria foi fruto de entendimentos entre Rodrigo [Maia] e eu.Tenho interesse na pressa e na aprovação”, afirmou Eunício. A proposta é que o Susp seja coordenado e gerido pelo Ministério Extraordinário de Segurança Pública. Este órgão foi criado logo após a onda de violência em Estados como o Rio de Janeiro, tendo a frente o ministro Raul Jungmann. Este projeto estabelece o engajamento do governo federal, estaduais e municipais.

A medida contará ainda com a integração das polícias Federal, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal, polícias civis e militares, além de corpos de bombeiros militares, agentes penitenciários e de trânsito e guardas municipais e portuárias. Também farão parte institutos oficiais de criminalística e secretarias de Segurança. Tais órgãos poderão organizar ações de prevenção, operação, investigação e inteligência.

O projeto determina a criação de um sistema integrado para compartilhamento de informações, o Sinesp. O sistema armazenará dados prisionais e sobre drogas, por exemplo. Também trará um banco de dados de material genético e de digitais. Os Estados e municípios que deixarem de atualizar o sistema não poderão receber recursos do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). O Susp faz parte da agenda de segurança pública defendida pelo governo depois que o Planalto cancelou a aprovação da reforma da Previdência.

Com informações do Jornal Diário do Nordeste

Será lançado nesta segunda-feira (23) o Programa Nem 1 Aluno Fora da Escola, que tem o objetivo de garantir acesso e permanência de todas as crianças e jovens de 4 a 17 anos na escola. Durante o evento, será assinado um Termo de Compromisso pelos gestores municipais presentes.

A solenidade, que será realizada no Palácio da Abolição, sede do governo estadual, contará com as presenças do governador Camilo Santana, da vice-governadora Izolda Cela e do secretário Rogers Mendes, além de prefeitos e secretários municipais de Educação.

Serviço: Lançamento do Programa Nem 1 Aluno Fora da Escola
Data: 23/08 (segunda-feira)
Horário: 9h
Local: Palácio da Abolição. Entrada pela Rua Silva Paulet, 400.

Política com K

Na noite da última sexta-feira (20), o líder político Dr. Guimarães esteve reunido com amigos que fazem parte de sua base política em Sobral. Na pauta do encontro, apresentar o novo projeto político para 2018. Agora no PROS, Dr. Guimarães deverá concorrer a uma das 46 vagas de deputado estadual. Ele se diz otimista quanto à possibilidade de ser eleito .

Dr. Guimarães fez questão de ouvir a sua base eleitoral sobre possíveis alianças que deverá fechar este ano, e disse que no final, trará ao grupo a decisão final. Quanto às costuras partidárias, Dr; Guimarães disse que vem recebendo convites de alguns políticos mas afirmou que até o momento, nada ainda foi fechado. 

 

Apoio incondicional

 

Quem esteve presente ao encontro foi o vereador do Partido Social Liberal )PSL), Professor Cleiton Prado, que reafirmou apoio ao amigo Dr. Guimarães: "Dr. Guimarães é o meu líder político principal. Tenho certeza que ele escolherá o melhor nome para fazer dobradinha aqui em Sobral. Uma coisa é certa; pra onde ele for eu irei com ele, pois sei que o Dr. Guimarães é um homem inteligente e vai saber fazer a escolha certa", disse o vereador Professor Cleiton Prado. 

 

Cecília Beta / Dr. Guimarães / DJ Nilton Marques

Foi unânime o posicionamento das lideranças políticas que estiveram presentes no encontro. Cecília Neta, que foi candidata a vereadora nas últimas eleições esteve presente e disse que vai continuar dando total apoio ao pré-candidato Dr. Guimarães, independente do rumo que ele tomar: "Temos que ter um lado e eu escolhi estar ao lado do Dr. Guimarães. Ele tem demonstrado firmeza nas suas palavras e não muda simplesmente para se dar bem. Seja quem for o nome que ele vai escolher para fazer dobradinha aqui em Sobral, eu vou dar o meu apoio e vou pedir votos pra ele. Indiscutivelmente, Dr. Guimarães é o que podemos chamar de 'verdadeira oposição' de Sobral", disse Cecília Neta.

 

 

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sobral (Sindsems), realizou na ultima sexta-feira (20), na sede do Sindicato, sua eleição sindical para a escolha da sua nova diretoria que reconduziu o presidente Gilvan Azevedo e sua nova diretoria eleita para gestão do sindicato. 
 
Apenas uma CHAPA ÚNICA – AVANÇANDO SEMPRE NO RUMO CERTO foi reeleita com 253 votos a favor e apenas 9 votos em branco e nenhuma abstenções, que totalizou 262 votos. O processo de escolha ocorreu tranquilamente sem nenhum problema. 
 
A nova diretoria é composta por 20 membros, com os suplentes e membros no Conselho Fiscal, que cumprirão um mandato de três anos. Com destaque para a participação efetiva da categoria dos agentes comunitários de saúde e endemias, com a chegada da liderança Gilcelio Paiva e Liduina Oliveira, que agora assumem posições importantes para o fortalecimento da direção do sindicato. 
 
A chapa vencedora reúne representantes das mais variadas categorias que compõe os servidores municipais, que num processo eletivo de consenso e unidade chegaram ao resultado positivo da sua eleição. Os novos diretores assumirão oficialmente no dia 30 de abril, no dia seguinte ao encerramento da atual gestão.
 
Blog Célio Brito

A Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria da Cultura, Juventude, Esporte e Lazer (Secjel), prorrogou até o dia 30 de abril as inscrições para o Projeto Bolsa Atletas de Sobral. O projeto faz parte do Programa #ocupaJuventude – Sobral com + oportunidades e visa garantir recursos para a manutenção pessoal de atletas em formação e de rendimento.

A inscrição deverá ser efetuada online, mediante o preenchimento de formulário eletrônico. Em caso de dúvidas ou inscrições não finalizadas, os interessados devem se dirigir ao Ginásio Poliesportivo Dr. Plínio Pompeu, de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h e de 13h às 17h.

O Projeto Bolsa Atletas de Sobral compreende um investimento total de R$ 224.000,00, exclusivamente por parte do tesouro público municipal. Contemplará ao todo 100 bolsas divididas em duas categorias: Nível I – com foco em formação de novos atletas e participação; e Nível II – com foco no rendimento esportivo.

Outras informações: (88) 3614-7288


Inscrições AQUI

Publicidades

Usuários online

Temos 900 visitantes e Nenhum membro online

Nossos vídeos